11 de ago de 2010

[História/Recife] Os Bondes de Recife


Ultimamente tenho entrado bastante no fórum Skyscraper City pra acompanhar um pouco as discussões sobre as melhorias de infra-estrutura pra Copa de 2014 e numa dessas passeadas pelo fórum achei um tópico legal sobre o sistema de bondes daqui de Recife. Sempre soube que teve porque ainda é possível ver os trilhos por onde ele passava no centro da cidade, mas não sabia que ele tinha sido tão grande. O sistema de bondes acabou aqui lá pela década de 50, então não cheguei a ver, só cheguei a conhecer os trólebus que os substituíram e que ainda funcionavam até o início dos anos 2000.

Um fato interessante que eu não sabia era que Recife foi a segunda cidade do país, só atrás do Rio de Janeiro, a operar bondes a vapor, isso em 1867 no trajeto Porto-Apipucos. Porém, quando os bondes foram se tornando elétricos, Recife ficou pra trás e só foi a 21ª cidade a adotá-los, em 1914, sendo ainda a última das grandes capitais a fazê-lo. Apesar da demora em adotar os bondes elétricos na década de 1920 o sistema de bondes urbanos de Recife já era o 3º maior do Brasil, operando com 130 veículos motorizados e 110 reboques em 141 km de linhas.


A palavra bonde vem do inglês bond (bônus), porque na época da criação deles na Inglaterra foram oferecido bônus visando a arrecadação de fundos para a instalação desse sistema. Aqui em Recife o sistema de bondes foi primeiramente controlado pela empresa Pernambuco Street Railway quando dos bondes a vapor e de tração animal, posteriormente com o advento dos bondes elétricos ele foi controlado pela inglesa The Pernambuco Tramways & Power Company Limited, criada em 1913 para instalar e operar as linhas.

Os bondes mediam cerca de 3 metros de largura e tinham bancos largos que podiam acomodar de 5 a 6 pessoas, em cada um. Para subir no bonde, devido a sua altura, existiam estribos que serviam para auxiliar. O sistema de bonde por ser operado por ingleses tinha duas características principais, trafegarem pela mão-esquerda como os carros hoje em dia na Inglaterra, e serem extremamente pontuais.


Porém, após a Segunda Guerra Mundial o sistema de bondes começou a entrar em declínio. Dentre os fatores que provocaram esse declínio estão: expansão territorial da cidade, aumento da população, transformações sociais, o processo revolucionário de 1930, que alterou a conjuntura político-administrativa do País. Todos esses fatores contribuíram para um aumento do número de usuários e o sistema não cresceu na mesma proporção levando cada vez mais a super lotações que, vez ou outra, provocava acidentes quando pessoas que iam penduradas devido a falta de espaço eram atingidas por veículos que vinham na pista contrária, sem falar do maior desgaste que a estrutura sofria devido ao excesso de peso. Como após a Segunda Guerra Mundial ficou mais difícil a importação de peças para reposição aos poucos o sistema foi ficando sucateado até sua extinção em 1954.

Com o fim dos bondes o sistema de transporte urbano passou a ser feito através de trólebus, que basicamente eram ônibus elétricos ligados a rede elétrica no mesmo molde dos bondes. Os trólebus funcionaram até 2001 aqui, mas sem o mesmo charme que os bondes de antigamente.


Abaixo da para se ter uma ideia da diferença entre os sistemas de bonde e trólebus no Recife.


Como eu disse logo no começo do post, ainda existem os trilhos dos bondes no centro da cidade. Uma coisa que eu acho que seria bacana de fazer seria colocar VLT (veículos leves sobre trilhos, que seriam algo com a evolução dos bondes) para rodar nessas linhas que ainda existem, ou quem sabe fazer uma linha com um bonde pelo centro da cidade como um passeio turístico.

Pra finalizar, um vídeo mostrando alguns bondes funcionando aqui em Recife.


Para mais fotos e mais informações entre aqui.

Para uma cronologia completa da história dos bondes em Recife clique aqui

Fontes:
SkyscaperCity

2 comentários:

  1. Bela postagem.Postei os textos no meu blog,porém citando a fonte,caso o amigo deseje que retire é só me avisar ok? Parabéns pelo blog e aquwele abraço.
    Alexandre Souza
    Blog:"Um coração recifense"
    http://alexandresouza1.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nosssa, adorei o Blog, sempre fui apaixonada por histórias, como estas da cidade do recife. E concordo com a volta de bondes pelo menos turísticos, muito rico tudo isso!
    Abraços'

    ResponderExcluir