5 de dez de 2016

[Idiossincrasias] 30

Hoje é o meu aniversário de 30 anos e ao longo do ano diversas pessoas me falaram o quão ruim seria chegar nessa idade. O quanto eu iria pesar as minhas conquistas e sofrer pelas não alcançadas. Pode ser que amanhã eu acorde e perceba que eu deveria ter conquistado x ou y coisas e comece a me cobrar por não ter conseguido, mas faltando 1 hora pro dia acabar posso dizer que nesses 30 anos eu fui e sou feliz com as escolhas e conquista que tive. Algumas podem não ter sido as melhores pensando bem agora, mas eram as decisões que o eu da época acharam melhores, e isso me basta. Mais do que isso é pedir para enlouquecer. 

Quando eu fui morar em Recife com 5 anos, ficou mais fácil ir visitar minha irmã e a família da minha mãe que morava em Fortaleza, coisa que praticamente todo ano fazíamos. No caminho de ida, logo depois de passar de Goiana a estrada passava por um canavial, e do outro lado, por entre a cana, eu sempre via uma igrejinha de telhado inclinado cercada por eucaliptos. Pro eu criança aquela igreja  cercada de eucaliptos era a cena mais linda do mundo.

Anos depois, já crescido, as viagens a Fortaleza diminuíram, mas quis o destino que eu continuasse fazendo parte do percurso para ir a Mossoró (agora na verdade de Mossoró), e a igreja continuou fazendo parte da minha vida. Agora ela já não era tão mais bonita, porque a duplicação da BR-101 acabou levando os eucaliptos que a cercavam e tirou um pouco da magia. Mas ela ainda estava lá, sempre um olhando o outro quando passava. 

Devo ter passado por ela ao longo da minha vida uma meia centena de vezes facilmente, mas nunca tinha parado. Provavelmente por medo dela perder a magia caso o fizesse. Ontem, com os 30 anos batendo na porta, eu me dei conta que a única coisa que eu realmente sempre quis fazer desde pequeno e nunca tinha feito era parar e tirar uma foto dela. Então, se teria algo que eu ira me arrepender de não ter feito antes dos 30 seria isso. Então, bem, aí está. Pode não ser a mais bela do mundo, mas pro eu de 30 ela continua tão bela quanto pro meu eu de 25 anos atrás.


13 de jun de 2016

[Música] Top 5 descobertas no Spotify

Ultimamente tenho andado sem tempo para nada. Prazo do doutorado batendo na porta, aulas pra preparar, alunos pra orientar, e mais o monte de coisas que a rotina diária impõe. Isso tem se refletido principalmente aqui no blog que passou mais de ano sem ser atualizado. O único tempo realmente livre que venho tendo são as duas horas diárias de trajeto entre minha casa e o trabalho. E entre jumentos, buracos e assaltos tenho aproveitado para ouvir bastante música, principalmente graças ao Spotify. 

É interessante o tanto de coisa diferente e interessante que dá pra descobrir utilizando o programa, principalmente quando se utiliza o recurso de rádio de uma música que você gosta, ou então a playlist "Descobertas da Semana", que o Spotify organiza semanalmente baseado no que você tem escutado.

Assim, a intenção desse post é listar aqui 10 artistas/álbuns interessantes que eu descobri nesses últimos tempos e que ando ouvindo bastante. 

1 - The Hush Sound - Goodbye Blues


Pra começar, uma das bandas que mais tenho ouvido nos últimos tempos, The Hush Sound, com seu terceiro álbum, o "Goodbye Blue". Infelizmente o Spotify não tem os discos anteriores. O disco inteiro é muito bom, mantendo uma regularidade do começo ao fim. Destaque para as faixas "Honey", "As You Cry", "Hospital Bed Crawl", e a minha favorita, "Break the Sky".



2 - Jukebox the Ghost - Everything Under ther Sun


Seguindo na pegada indie, vale a pena dar uma conferida no segundo álbum, Everything Under the Sun, da banda Jukebox the Ghost. Confesso que não cheguei a ouvir os outros discos que constam no Spotify, então não sei se a qualidade é a mesma, mas de "Everything Under the Sun" as faixas "Empire" e "Popular Thing" se destacam na minha opinião.



3 - Russian Red - Fuerteventura


Mais um segundo álbum. Dessa vez da cantora espanhola Lourdes Hernández aka Russian Red com uma pegada meio indie meio folk. Destaque do álbum vai para as faixas "The Sun the Trees", "Everyday Everynight" e "Fuerteventura".



4 - April Smith and the Great Picture Show - Songs for a Sinking Ship


Songs for a Sinking Ship é o álbum de estreia da banda estadunindense April Smith and the Great Picture Show. Assim como a Russian Red, o estilo da banda gira entre o folk e o indie, mas com um toque meio burlesco. Como curiosidade, esse álbum foi lançado por meio de uma campanha de crowdfunding no Kickstarter. Minhas faixas preferidas são "Terrible Things", "Can't Say No" e "Wow and Flutter".



5 - Little Joy - Little Joy


Para encerrar a lista, uma banda formada pelo ex-Los Hermanos Rodrigo Amarante, pelo baterista do The Strokes Fabrizio Moretti e pela Binki Shapiro. Não tem como não reconhecer um pouco dos Los Hermanos em algumas músicas, como por exemplo nas faixas "The Next Time Around" e "Brand New Start".